Crivella autoriza duplas regências para suprir ausência de professores

O prefeito Marcelo Crivella autorizou, nesta segunda-feira (21/08), a contratação de duplas regências para as vagas ocasionadas por aposentadorias, licenças e falecimentos de professores da rede municipal de ensino

 no primeiro semestre de 2017. A decisão foi anunciada após reunião com os secretários municipais de Educação e Fazenda, Cesar Benjamin e Maria Eduarda Gouveia. Em caráter emergencial, a convocação de 688 docentes atende às necessidades dos alunos de Educação Infantil e do Primário (Fundamental I), além de algumas disciplinas do Ginásio (Fundamental 2).

 

Professores de dupla regência são aqueles que, com uma matrícula, passam a receber salários como se tivessem duas para preencher faltas na rede.

 

Parte desse total de professores vai atender 340 turmas de Educação Infantil e Anos Iniciais, em um universo de cerca de 10 mil estudantes, que estão com horário reduzido por falta desses profissionais. Outros vão completar a lista das necessidades de 9 mil alunos em disciplinas como Língua Portuguesa, Matemática, Ciência, Geografia, Inglês, Educação Física e Artes para o Ginásio.

Podem trabalhar com duplas regências professores com uma matrícula, que trabalham apenas no turno parcial e podem fazer horário integral, caso queiram. São profissionais importantes para atender faltas eventuais de docentes da rede. A Secretaria Municipal de Educação (SME) calcula que 90% das necessidades atuais são motivadas por faltas eventuais, ou seja, os professores titulares vão voltar.

Além da contratação das duplas regências, a Prefeitura do Rio aguarda nova avaliação do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal, marcada para setembro, para convocar cerca de 700 professores concursados. Esta avaliação é realizada quadrimestralmente e, caso o limite seja regularizado, a prefeitura estará autorizada a contratar esses profissionais. A carga horária dos professores concursados é de 40 horas, mas, até o momento, a rede municipal trabalha, em sua maioria, com dois turnos.

 

Desde o início do ano, foram convocados 825 professores aprovados em concurso para que 23 mil alunos não iniciassem o ano letivo sem aula. Destes, 177 novos professores foram convocados para atender a Educação Infantil; 386 para atender aos alunos dos anos iniciais (do 1º ao 5º ano); e outros 262 para atender os anos finais do Ensino Fundamental (do 6º ao 9º ano).

1 Comment

Add a Comment
  1. Bom dia,outra solução seria aproveitar os funcionários terceirizados que estão nas salas como auxiliares de agentes educadores, muitos já tem formação,e alguns até com graduações.